Menu

História

A recuperação da história deste clube em Santos e no Brasil se deve aos esforços de Douglas Bornir, que preparou o texto a seguir transcrito, e de Ary O. Cellio, que providenciou as imagens e remeteu o material a Novo Milênio:

ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA BANCO DO BRASIL - SANTOS Sua gente - Sua história

AAAB SANTOS

h0171v00

história é a memória dos homens. Se um povo rompe os vínculos com o passado, está condenado a seguir às cegas na direção do futuro. O presente é apenas o fugaz intervalo do tempo, o átimo a unir o infinito que ficou pra trás, à eternidade que se estende adiante. É vital sentir saudades, guardar lembranças, conhecer a história, respeitar tradições, encorajar-se pelos exemplos, aprender com a experiência dos personagens de tempos pretéritos e manter a memória, como lição e advertência para o momento presente. A história dos fatos passados deve ser permanentemente retransmitida às novas gerações, pela voz de testemunhas sobreviventes, pelos livros, registros, fotos antigas, monumentos perenes, trechos de ruas, velhas fachadas do casario, papéis guardados, e pelos arquivos dos jornais, legítimas certidões de um tempo que as novas gerações devem conduzir em direção ao futuro.

(Vicente Cascione, em Pontos de Vista,

 editorial de A Tribuna)

Os primeiros anos de vida da AABB, dadas as características próprias da fundação, foram os mais profícuos e até fáceis de se ler. À medida, porém, que os anos vão decorrendo – e esta narrativa segue rigorosa ordem cronológica -, a fim de não torná-la repetitiva e desinteressante, intercalamos alguns fatos principais da história do Brasil, para que o leitor mais interessado possa associar os acontecimentos ocorridos na Associação e no país, colocando-os na conjuntura que à época vivíamos.

Antes de passarmos aos fatos, dois nomes precisam ser lembrados. Um deles é o de Paulo Pinheiro Werneck. Espírito empreendedor, batalhador incansável, dele partiu a idéia da fundação de um clube que congregasse os funcionários do Banco do Brasil e suas famílias. Ocupou todos os cargos existentes na diretoria e graças à sua pertinácia, viu o clube progredir e se firmar como um dos maiores da cidade.

O outro é o de Nélson Ribeiro, este já nosso contemporâneo. Grande colaborador da AABB e, principalmente, historiador e bibliógrafo por excelência, foi o pesquisador dos primórdios do clube e a ele se devem os escritos feitos até 1953, quando a agremiação completou 20 anos de existência. Falecido em 1997, granjeou amigos à sua passagem. São dele os elementos iniciais – e principais – desta história.

Trecho final da Avenida Ana Costa
Trecho final da Avenida Ana Costa, junto à praia, cerca de 1940. À esquerda, o Parque Balneário
Foto reproduzida do raro Calendário de 1979 editado pela  Prodesan – Progresso e Desenvolvimento de Santos S.A., com o tema Imagens Antigas e Atuais

Início da década de 1930. O mundo vivia dias conturbados. O austríaco Adolph Hitler recebia a cidadania alemã, tornava-se chanceler e anunciava o III Reich. Logo depois, na Sociedade das Nações, rejeitava as propostas de desarmamento e assumiria o título de Führer. Ah! Se a humanidade soubesse…

Um pouquinho mais ao Leste, Antonio Oliveira Salazar implanta a ditadura em Portugal e Franklin Delano Roosevelt assume a presidência dos Estados Unidos e inicia o Novo Acordo (New Deal), programa de reformas econômicas e sociais para amenizar as conseqüências da quebra da Bolsa de Nova Iorque, em 1929, que acarretou a falência de 9.000 bancos e 85.000 empresas, reduzindo-se os salários em até 60% e o desemprego atingindo 13 milhões de pessoas. Para amenizar esse quadro, Walt Disney retocava e preparava o lançamento do Pato Donald.

Do lado de cá do Atlântico, passava-se por grandes reformas. O chefe do governo provisório do Brasil, Getúlio Vargas, criava o Ministério do Trabalho, estabelecia jornada de oito horas diárias e tornava obrigatória a Carteira Profissional. O novo Código Eleitoral instituía o voto secreto e concedia às mulheres o direito de votar e serem votadas. Tão logo se abafou a Revolução Constitucionalista contra Vargas, começaram os trabalhos de organização da Previdência Oficial. E do 1º desfile oficial das escolas de samba.

Em São Paulo, o interventor Armando de Salles Oliveira estava às voltas com a 1ª greve de funcionários públicos da história brasileira. De outra parte, funda-se a Universidade de São Paulo (USP).

Em Santos, os jornais abriam suas manchetes à visita do presidente da Argentina, Agustín Justo. Os cinemas da cidade exibiam A Vênus Loura, com Marlene Dietrich, Viver na Morte, com Douglas Fairbanks Júnior e Loretta Young, e Rasputin e a Imperatriz, com os irmãos Barrymore (John, Lionel e Ethel). O Santos Futebol Clube jogaria com o Fluminense, no Rio, e já estava escalado: Athié, Arlindo e Garcia; Agostinho, Moacyr e Alfredo; Victor, Camarão, Seixas, Giby e Lugu. A Tribuna publicava o folhetim A Mãe dos Desamparados e o café, nosso principal produto de exportação, movimentava o país, o estado, a cidade e, como seu principal agente, o Banco do Brasil.

Livre das amarras do aforamento dos jardins, o engenheiro civil Aristides Bastos Machado, prefeito nomeado, começava o ajardinamento da orla da praia, o que daria à cidade a feição turística que hoje ostenta. Os trabalhos iam ser iniciados a partir do Parque Balneário Hotel. E foi ali que, em…

1933 – Na confluência da Avenida Ana Costa com a Presidente Wilson, defronte à Fonte Luminosa do Gonzaga, erguia-se o Parque Balneário, um dos hotéis mais requisitados do país e do exterior. Um lugar de veraneio à beira-mar. Demolido em 1974, era conhecido pelo seu luxuoso cassino e seus grandes salões de festas, por onde desfilaram Xavier Cugat, Havaian Serenaders e o pianista argentino Robledo. Seus lustres eram importados da Boêmia e os mármores, de Carrara.

Os mais antigos devem lembrar dos passeios que, nas noites dos finais de semana, moças e rapazes faziam nas suas calçadas, ouvindo a música que vinha da Tropical Garden, uma boate ao ar livre erigida no centro de seus jardins. O hotel dispunha de duas quadras de tênis, onde, para aliviar o cansaço de um dia de trabalho estafante, reuniam-se vários grupos de amigos para disputar partidas amistosas.

Um desses grupos, que também alugava uma das salas do hotel, era composto por Paulo Pinheiro Werneck, Ambrósio Vieira Braga, Christiano Brasil Filho, João dos Santos Damin e Francisco Dantas Pimentel, funcionários da agência de Santos do Banco do Brasil, aos quais juntavam-se Adriano Costa, Durval Muylaert e Nair Duarte, não pertencentes aos quadros do banco.

Foram esses, pois, que idealizaram, em fins de setembro e nas dependências do Parque Balneário Hotel, a fundação do Satélite Clube, a qual se verificou dias após, em 7 de outubro de 1933 – um sábado de tempo ameaçador, com chuvas – com a colaboração irrestrita dos cerca de 50 funcionários da agência de Santos.

Durante os três primeiros meses – de outubro a dezembro – o Satélite foi administrado por uma “Comissão Organizadora e Dirigente”, composta pelos cinco funcionários já citados e, após a elaboração dos primeiros estatutos, aprovados pela assembléia geral realizada em dezembro de 1933, procedeu-se à eleição da primeira diretoria do Satélite, com mandato de um ano e que estava assim constituída:

1934

Presidente: Ambrósio Vieira Braga

Vice: Paulo Pinheiro Werneck

Secretário: João dos Santos Damin

Tesoureiro: Christiano Brasil Filho

Diretor Técnico: João Motto.

Dois meses após, essa diretoria viu-se privada do concurso do presidente, do tesoureiro e do diretor técnico. Nessa contingência, Paulo Pinheiro Werneck absorveu as funções de todos os cargos vagos, porém, na impossibilidade de prosseguir sozinho nas tarefas administrativas, convidou Oswaldo Brito Fernandes, Mário Pereira Crespo e Henrique Assis Bandeira para ajudá-lo a conduzir os destinos do clube.

Como se interpretou esses convites como medida discricionária – mesmo sob a alegação de os sócios terem sido cientificados através de comunicado afixado no quadro de avisos da portaria do banco – adveio a necessidade de se reformar os estatutos. Assim, os diretores em exercício renunciaram a seu mandato e, em 21 de julho de 1934, nova diretoria foi eleita:

Presidente: Ambrósio Vieira Braga

Vice: Flávio Alcoba Soares

Secretário: João Soares Neves

1º Tesoureiro: Paulo Pinheiro Werneck

2º Tesoureiro: Felisberto Menezes

Diretor Social: Henrique Assis Bandeira

Esportes: José Maria Gonçalves de Rezende

Os dois últimos logo renunciaram e foram substituídos, respectivamente, por Luiz Gonzaga Wilhena Morais e Newton Nora Carrijo.

Ambrósio Vieira Braga - Presidente do Satélite Clube em Agosto de 1934 à Novembro de 1935
Ambrósio Vieira Braga, presidente do Satélite Clube de agosto de 1934 a novembro de 1935
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

Instalado em sede bastante deficiente, em uma sala junto à praça de esportes do Parque Balneário Hotel, onde existiam duas quadras de tênis em péssimo estado de conservação, mais tarde alugou outra sala, contígua, onde se jogava pingue-pongue e xadrez. As festas dançantes eram realizadas na Sociedade Humanitária, à Praça José Bonifácio.

Quando da fundação, faziam parte do grupo iniciador Adriano Costa, Durval Muylaert e Nair Duarte, que não eram funcionários do Banco mas que podiam pertencer ao quadro social, já que eram pessoas de comprovada idoneidade moral, amigos de funcionários. Havia 13 sócios estranhos, com a contribuição de 10$000 (dez mil réis) e 8 sócios contribuintes com a mensalidade de 5$000 (cinco mil réis).

Trajano de Castro Serra propôs e foi aprovado o aumento da mensalidade para 20$000 (vinte mil réis) e Luiz Gonzaga Vilhena Morais sugeriu, em assembléia, o desconto da mensalidade em folha de pagamento, para o quê, ao ser admitido no quadro social, obrigar-se-ia a autorizar o Banco do Brasil a fazer o respectivo débito.

Em 20 de setembro de 1934, realiza-se no Parque Balneário Hotel, à Avenida Presidente Wilson nº 111, com 32 presentes, a 1ª Assembléia Geral para apreciar carta de Paulo Pinheiro Werneck, na qual renuncia, em caráter irrevogável, ao cargo de 1º tesoureiro.

Diziam que o clube tinha assumido muitas dívidas, enquanto a diretoria se justificava alegando que eram indispensáveis à instalação e funcionamento do Satélite. A seguir, Paulo Pinheiro Werneck apresentou amplo relatório de sua atuação à frente dos destinos do clube, tendo o mesmo sido aprovado e merecido ampla salva de palmas e votos de louvor.

Nessa assembléia, presidida por Antonio Sérgio Ferreira Filho, gerente da agência de Santos, e secretariada por João Soares Novaes, empossou-se no cargo o 2º tesoureiro, Felisberto de Menezes, e rejeitou-se a proposta para que fosse elevada em 10$000 (dez mil réis) a mensalidade dos sócios que praticassem tênis. A título de curiosidade, transcrevemos parte do relatório feito por Paulo Pinheiro Werneck, de onde se infere um resumo financeiro do clube desde sua fundação:

RECEITAS
42 sócios funcionários a 10$000 cada 420$000
46 sócios funcionários a 5$000 cada 230$000
8 sócios funcionários a 3$000 cada 24$000
13 sócios não funcionários a 10$000 cada 130$000
8 sócios não funcionários a 5$000 cada 40$000

Total

844$000
DESPESAS
Aluguel, impostos, água/luz da sede 596$000
Aluguel do campo de futebol 50$000
Ordenado do empregado da sede 150$000
Guarda do material 40$000
Lavagem das camisas de futebol 10$000

Total

846$000

PATRIMÔNIO – Uma radiola, um tapete congoleum, seis cadeiras de vime, três redes, uma cadeira de juiz, uma máquina de cortar grama, quatro cabides, arame farpado para cerca, quatro sacos de pó de tijolo, uma bandeira, duas dúzias de camisas para futebol, três bolas e um apito.

fotos171a
Trecho inicial da Rua do Comércio em 1922 (então chamada de Rua do Santo Antonio), junto à Praça Rui Barbosa (na época denominada Largo do Rosário)
Imagem enviada a Novo Milênio por Ary O. Céllio, de Santos/SP

Em 5 de dezembro de 1934, nas dependências do Parque Balneário Hotel, à Avenida Presidente Wilson nº 111, realizou-se, sob a presidência de Trajano de Castro Serra, e secretariada por Alcindo Leite Pereira, a 2ª Assembléia Geral do Satélite, tendo sido eleita, por unanimidade, a seguinte diretoria, empossada em

1935

Presidente: Flávio Alcoba Soares

Vice: Francisco Assis Orselli

Secretário: Pedro Andrade Netto

1º Tesoureiro: Diogo Álvares Salles

2º Tesoureiro: Felisberto Menezes

Social: José Lemos Nogueira

Esportes: Newton Nora Carrijo

Ao assumir a direção do clube, o presidente eleito encontrou-o em situação deveras melindrosa, oriunda de despesas onerosas, porém necessárias à instalação. A receita mal cobria a manutenção e, como o patrimônio existente fora adquirido para pagamento parcelado, a orientação era, então, economia a qualquer preço. Evitou-se ao máximo despesas extraordinárias, sendo essa atitude mal interpretada pelos associados, que queriam atividades sociais, como bailes, passeios, piqueniques etc.

Os freqüentes pedidos de demissão provocavam diminuição da receita, mas a diretoria manteve-se intransigente, pois aumentar os gastos seria levar o clube à derrocada.

A primeira providência foi a de recompor os débitos mediante acordo com os credores. A dívida elevava-se a 1:012$500 (um conto, doze mil e quinhentos réis), havida de diretorias anteriores. Francisco Dantas Pimentel é nomeado diretor de tênis e, tendo em vista a demissão de Felisberto de Menezes, José Lemos Nogueira acumula também esse cargo e abre, no Banco do Brasil, em nome do Satélite, uma conta de Depósitos Populares.

Em novembro é aprovada a antecipação das mensalidades e da subvenção fornecida pela Matriz, resgatando-se, assim, as dívidas remanescentes. Em dezembro, por aclamação, forma-se nova diretoria:

Paulo Pinheiro Werneck - Presidente do Satélite Clube em 1936
Paulo Pinheiro Werneck, presidente do Satélite Clube em 1936
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1936

Presidente: Paulo Pinheiro Werneck

Tesoureiro: Domingos Andrade Vilella

ficando os demais cargos à escolha do presidente eleito. Na oportunidade, foi consignado um voto de louvor a Flávio Alcoba Soares, pelo saneamento das contas do clube e aprovada proposta para que se inaugure, na sede do Satélite, o retrato do ex-presidente Ambrósio Vieira Braga, pelos bons serviços prestados ao clube.

Em fins de junho, Paulo Pinheiro Werneck é transferido para o Rio de Janeiro. A cidade maravilhosa, então capital da República, centralizava todos os órgãos federais, inclusive o Banco do Brasil, que tinha ali sua direção geral. Qualquer funcionário que almejasse carreira rápida ou se sobressaísse nas agências era requisitado para se transferir, quase sempre em funções comissionadas, motivo pelo qual as agências – e por extensão as AABBs – viam-se privadas de seus funcionários e diretores. Assim, fato consumado, elegeu-se nova diretoria, assumindo Flávio Alcoba Soares.

BRASIL – Luiz Carlos Prestes prepara uma rebelião político-militar para derrubar Getúlio Vargas e instalar um governo socialista (Intentona Socialista). Mas é descoberto, perseguido e preso. Sua mulher, a judia-alemã Olga Benário, é entregue à Gestapo e morre num campo de concentração, em 1942. Prestes fica preso até 1945. Santos tem 140.000 habitantes e o prefeito eleito é Aristides Bastos Machado.

1937 – O Satélite aluga por 25$000 uma sala à Rua do Comércio nº 15 – 2º andar, bem próxima à Praça Rui Barbosa, para instalação da secretaria. Foram adquiridos, também, por 100$000, 500 quilos de pó de tijolo para conservação das quadras de tênis. Esse e os demais materiais eram guardados no porão do Parque Balneário, motivo pelo qual se estudava um local mais adequado para o Satélite.

Para as festas juninas, realizadas no Santos Rink, foram depositados 100$000 em caução na City of Santos Improvements Co. para garantir o pagamento do consumo de luz. Outras despesas: Jazz Cepp (500$000) e um regional (130$000).

BRASIL – Baseado em suposto plano comunista (Plano Cohen) para tomar o poder, divulgado pelo general Góis Monteiro, Getúlio Vargas, em golpe de estado, implanta o Estado Novo, regime autoritarista, centralista e corporativista. O novo prefeito da cidade, também eleito, é Antonio Iguatemy Martins Júnior.

1937 – O Satélite Clube faz sua primeira mudança, transferindo-se para a Avenida Floriano Peixoto nº 52, um sobrado defronte à Rua Marcílio Dias e a meia quadra da Praça da Independência. Dispondo de amplo andar térreo e com 4 salas na parte superior, havia espaço suficiente para localizar a biblioteca, a sala de reuniões, a da diretoria, o salão de jogos e ainda local para guarda de todo o material sócio/esportivo. A aquisição de novos móveis, material de escritório e despesas com mudança trouxeram novo ônus para o clube. A par disso, descobriu-se que o cobrador, além de receber comissão mensal pela cobrança dos recibos (mais ou menos 72$000), desviara 180$000 de maneira fraudulenta.

BRASIL – É criado o Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP) e o Conselho Nacional do Petróleo (CNP). Houve grande avanço nas políticas sociais pela implantação de ampla legislação trabalhista. Lampião (Capitão Virgulino) e sua companheira Maria Bonita são mortos em Angicos, fazenda na região do Raso da Catarina, na divisa da Bahia com Sergipe. Antonio Gomide dos Santosé o interventor nomeado pelo governo federal.

Flávio Alcoba Soares - Presidente do Satélite Clube de Junho de 1936 a Julho de 1939
Flávio Alcoba Soares, presidente do Satélite Clube de junho de 1936 a julho de 1939
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio
h0171v41
Inauguração da barraca de praia, em 10 de setembro de 1939
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1939 – Em 11 de maio, em assembléia presidida por Alcides Costa Guimarães e secretariada por José Accácio dos Santos e José Lemos Nogueira, são aprovados os novos estatutos e alterada a denominação social, de Satélite para Associação Atlética Banco do Brasil – Santos. Flávio Alcoba Soares é transferido para o Rio de Janeiro e, após novas eleições, fica assim composta a nova diretoria:

Presidente: Hamleto Celso Lins e Silva

Tesoureiro: Leonel Credidio

Esportes: Djalma Pereira Maia

Social: Américo Teixeira Pinto

Secretário: Mário Guimarães P. Silva

 

Iniciam-se estudos para aquisição de uma barraca de praia, com as cores do clube. A inauguração, com chopes, refrigerantes e salgados, deu-se em 1941

BRASIL – É criada a Justiça do Trabalho e surge o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), para vigiar ideologicamente os meios de comunicação. Santos tem novo interventor nomeado pelo governo federal: Cyro de Athaide Carneiro.

h0171v42
Equipe esportiva na inauguração da barraca de praia, em 10 de setembro de 1939
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1940 – Adquiriu-se uma máquina de escrever Underwood, os novos uniformes para o futebol (camisa branca com escudo e calção azul), um fichário de madeira, um armário para biblioteca, outro para as taças e um quadro de avisos para a barraca: “AABB – Privativo dos Sócios”. Em maio, após Assembléia Geral Ordinária, é eleita nova diretoria:

 

Presidente: Hamleto Celso Lins e Silva

Secretário: Oswaldo Marques

Social: Antonio Ferreira Rodrigues

Esportes: Mário Riskallá

Tesoureiro: Antonio Jesus Maestre Alvarez

Escolhido o Casino São Vicente, na Ilha Porchat, por oferecer melhores preços do que o Casino do Monte Serrat, para a festa dançante comemorativa do 7º aniversário da AABB. Nova mudança, desta vez para a Rua Marechal Deodoro nº 45. Aluguel da nova sede: 630$000 e caução de 200$000 relativos a água e luz.

BRASIL – É instituído o salário mínimo e, com ele, o imposto sindical. A população de Santos é de 165.000 habitantes e o interventor, nomeado pelo governo federal, é Antonio Gomide Ribeiro dos Santos.

Hamleto C. L. Silva - Presidente
Agosto de 1939 a Maio 1941 e de Abril a Dezembro de 1950
Hamleto C.L.Silva, presidente de agosto de 1939 a maio de 1941 e de abril a dezembro de 1950.
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1941 – Proposta ao Hespanha Futebol Clube a locação de sua praça de esportes, à Avenida Bartolomeu de Gusmão, por 750$000, compreendendo o campo de futebol, a pista de atletismo e a quadra de vôlei e bola ao cesto. Recusado convite do Segurança Atlético Clube para a disputa de uma partida de futebol, pois a equipe estava fora de forma e desfalcada. Em Assembléia Geral Ordinária realizada à Rua 15 de Novembro (parte dos fundos do Banco do Brasil, que dava frente para a Praça Mauá), elege-se nova diretoria:

Presidente: Antonio Jesus Maestre Alvarez

Secretário: Pedro Barcelos Wagner

Tesoureiro: Haeckel Torres

Social: Elias Barbosa

Esportes: Luiz Brandão Costa

No final do ano, Jacyro Macchi assume como secretário, dada a transferência do titular para o Rio de Janeiro.

BRASIL – Para substituir as importações por produção local, estratégia favorecida pelas dificuldades da II Guerra Mundial, funda-se a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), em Volta Redonda/RJ. Destinado ao ensino profissional do menor operário, cria-se o Serviço Nacional da Indústria (Senai)

h0276v
Rinque de Patinação do Atlântico Clube, onde depois se instalou o Espanha/Jabaquara,
área que em 1941 foi alocada à AABB,  na Avenida Bartolomeu de Gusmão
Foto: Jornal A Tribuna, edição de 26 de março de 1944

1942 – Recebida carta de Alfredo Coelho, comunicando a aquisição do prédio onde está instalada a sede social da AABB e informando não ter interesse na continuidade da locação pelo valor atual. Até a resolução da pendência, reajusta-se o aluguel para 750$000. Composição da nova diretoria:

Presidente: Elias Barbosa

Secretário: Jacyro Macchi

Tesoureiro: Raul Falcão

Social: Raul Rocha do Amaral

Esportes: João Evangelista C. Ribeiro

A AABB vê-se às voltas com nova mudança, desta vez para a Avenida Bernardino de Campos nº 631 (aluguel: 550$000), um casarão assobradado próximo à Rua Euclides da Cunha. Já demolido, surgiu em seu lugar o Edifício Caburaí. Oficiou-se à PRB-4/Rádio Clube de Santos, que intermediava as doações, cedendo todas as taças conquistadas pelo clube em disputas esportivas, desde sua fundação, para a campanha “Metais para a Vitória”, que visava reunir fundos para os esforços de guerra dos Aliados na 2ª Guerra Mundial. A partir de novembro, implanta-se o cruzeiro (Cr$), que valeria 1$000 (mil réis). Vigeu até janeiro de 1967.

BRASIL – Navios mercantes brasileiros são torpedeados por submarinos alemães no litoral e 652 pessoas morreram. O Brasil declara guerra à Alemanha e à Itália. É criada a Força Expedicionária Brasileira (FEB) e a Comissão Militar Brasileira vai à Itália acertar a participação do Brasil ao lado dos Aliados na II Guerra Mundial.

Antonio J. M. Alvarez - Presidente
Junho à Dezembro de 1941
Antonio J. M.Alvarez, presidente de junho a dezembro de 1941
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1943

Presidente: Elias Barbosa

Tesoureiro: Gilberto Ramos Ramalho

Secretário: Jacyro Macchi

Social: Vinicius Ferraz Machado

Esportes: João Evangelista C. Ribeiro

Em portaria ministerial 254, de 1º de outubro, a Diretoria de Esportes do Estado de São Paulo cria os Conselhos Deliberativos e Fiscais dos clubes, compostos por sócios eleitos em assembléia geral. O primeiro Conselho Deliberativo da AABB-Santos era presidido por Fábio de Azeredo Coutinho e secretariado por Haroldo Silveira Costa. Faziam parte do Conselho Fiscal: Alcides Costa Guimarães, José Antonio Menezes, Adão Pereira Freitas, Carlos Orselli Sobrinho e Antonio Jesus Maestre Alvarez. Adquirida por Cr$ 5.700,00 uma rádio-vitrola Lincoln, automática, de nove válvulas, para abrilhantar as reuniões sociais.

BRASIL – Getúlio Vargas instala a Fábrica Nacional de Motores (FNM), cria o Serviço Social da Indústria (Sesi) e entra em vigor novo conjunto de regras trabalhistas com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Elias Barbosa - Presidente
1942 à 1943
Elias Barbosa, presidente em 1942 e 1943.
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1944

Presidente: Francisco Paula Jaguaribe

Tesoureiro: César Bustamante Coutinho

Secretário: Jayme Barros Saraiva

Social: Walter Dantas Ramalho

Esportes: Bento Ramalho Júnior

Oficiado ao sr. Michel Alca, responsável pelo imóvel onde estava instalada a AABB, pedindo sua atenção para intimação feita pela Fiscalização Sanitária. Eventos do ano: festa campestre na A. A. Portuguesa, excursão a Piracicaba e vesperal dançante no Ilha Porchat Club. Iniciando vida esportiva oficial, a AABB disputou pela primeira vez o Campeonato Santista de Voleibol (1ª Divisão), conquistando os títulos de vice-campeã das 1ªs e campeã das 2ªs turmas. Jogaram: Raul Rocha do Amaral, Vinicius Ferraz Machado, José Ferreira, Octávio Lopes Neves, Haroldo Silveira Costa, Hélio Silveira Cysne e Gilberto Ramos Ramalho.

BRASIL – O Brasil envia o primeiro contingente de soldados para lutar na Itália. Tomam Monte Castelo, vencem em Castelnuevo e participam da tomada de Montese. 25.000 homens são enviados à Itália. Morrem 430 pracinhas e 14 oficiais do Exército e 8 da Aeronáutica.

Paulo Pinheiro Werneck - Presidente do Satélite Clube em 1936
Francisco Paula Alencar Jaguaribe, presidente em 1944 e 1945
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1945 – Elege-se a mesma diretoria do ano anterior. A A.A. Portuguesa propõe-se a ceder seu campo gratuitamente à AABB, aos sábados à tarde, caso 25 dos associados da AABB se associassem àquele clube. O espírito de cooperação prevaleceu e a AABB teve o campo ao seu dispor. O novo estatuto da AABB (Nélson Ribeiro, relator, com Jorge Guedes Monte Alegre e Roberto Sasdelli) fez competir ao bibliotecário a função de adquirir livros com a verba obrigatória de 20% sobre a subvenção concedida mensalmente pelo Banco do Brasil.

BRASIL – Pressionado por ministros militares, Getúlio Vargas renuncia, sendo eleito presidente da República, do PSD, com apoio do PTB, o ex-ministro da Guerra, Eurico Gaspar Dutra. População de Santos: 185.000 habitantes. Interventores nomeados pelo governo federal: Lincoln Feliciano e Francisco Paino.

fotos010k
Praça Mauá em 1929, vendo-se na esquina da Rua D. Pedro II o prédio em que a AABB se instalou 17 anos depois, tendo no térreo o tradicional Café Carioca
Imagem cedida a Novo Milênio por Ary O. Céllio

1946

Presidente: Jorge Guedes Monte Alegre

Secretário: Roberto Sasdelli

Social: Nelson Ruiz Affonseca

Tesoureiro: Nélson Ribeiro

Esportes: Octávio Lopes Neves

O proprietário do imóvel da então sede da AABB deu prazo de 90 dias para desocupação, por tê-lo adquirido para uso próprio. Aprovada a imediata mudança para a Praça Mauá nº 4 – 1º andar, já que a Associação não tinha recursos para ocupar imóveis nas imediações da praia. Era um salão onde estava instalado o Partido Democrata Cristão, na parte superior do prédio onde hoje se encontra o Café Carioca. Para fazer face às despesas com a mudança, a mensalidade foi reajustada para Cr$ 15,00.

BRASIL – É promulgada nova Constituição (a 5ª) pela Assembléia Nacional Constituinte, refletindo a queda do Estado Novo, o início do período democrático e a derrota do nazi-fascismo na II Guerra Mundial. Interventor nomeado pelo governo federal: Edgardo Boaventura.

Jorge Guedes Monte Alegre - Presidente
1946 à 1953
Jorge Guedes Monte Alegre, presidente em 1946 e em 1953
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1947

Presidente: Roberto Sasdelli

Secretário: Nélson Ribeiro

Social: Antonio Alves Figueiras

Tesoureiro: Matteo Coscia

Esportes: Rodolpho Alonso Maestre

Bibliotecário: Benjamin J. Carvalho

Tendo em vista a transferência para o Rio de Janeiro de Francisco Paula Alencar Jaguaribe, Jorge Guedes Monte Alegre assume a presidência do Conselho Deliberativo, tendo Joaquim Luiz Monteiro como secretário.

BRASIL – Atendendo a reivindicações conservadoras, o general Dutra proíbe os jogos de azar e fecha os cassinos. Pressionado pelos Estados Unis, rompe relações com a Rússia, decreta a ilegalidade do PCB, fecha a Confederação Geral do Trabalho (CGT), controlada pelos comunistas, e intervém nos sindicatos. Nomeado pelo governo federal, o interventor para a Prefeitura de Santos é Rubens Ferreira Martins.

Roberto Sasdelli - Presidente
1947 à 1955
Roberto Sasdelli, presidente em 1947 e 1955
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1948

Presidente: Nélson Ruiz Affonseca

Vice: Nélson Ribeiro

Tesoureiro: Pedro Berjon Lopes

Social: Lycio Guimarães Kolhy

Secretário: Lauro Carjullo D’Almeida

Esportes: Joaquim Simões

São criadas as vice-presidências do Conselho Administrativo e do Conselho Deliberativo, esta última ocupada por Lucien Bellot. O presidente era Roberto Sasdelli e o secretário, Pavel Martins. Pythágoras Bernardes de Oliveira assume como bibliotecário.

Necessitando de um órgão para divulgação de suas atividades, surge, em março, o Jornal da AABB – posteriormente, em julho de 1950, transformado em revista, publicação bimestral que, pelas suas bem cuidadas reportagens, abordando sempre as coisas da cidade, agitou os meios literários locais.

Concedido o título de sócio honorário a Adão Pereira de Freitas, pelos serviços prestados e atenções dispensadas à AABB. O homenageado era genitor do dr. Jair de Oliveira Freitas, que exerceu durante muitos anos suas funções de médico da agência de Santos.

BRASIL – O crescimento econômico passa a ser medido pela apuração anual do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de tudo o que o país produz. Funda-se o Partido Socialista Brasileiro (PSB) e é criado o Tribunal Federal de Recursos (TFR). Prefeito nomeado de Santos, desta vez pelo governo estadual: Álvaro Rodrigues dos Santos.

Nelson Ruiz Affonseca - Presidente
1948 à 1949
Nelson Ruiz Affonseca, presidente em 1948 e 1949
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1949 – A nova diretoria é a mesma de 1948, com uma única alteração: sai Pedro Berjon Lopes e entra Oswaldo Pagliacci na tesouraria. Aprovada a locação do imóvel à Rua Paraguai nº 149, quase esquina com a Rua Pasteur. A casa, com garagem, além da guarda do material esportivo e da barraca, poderia servir de residência para um zelador, que se pretendia contratar.

O aluguel era de Cr$ 2.200,00 e como a AABB não dispunha de Cr$ 9.000,00 para os serviços de pintura e mudança, fez-se um rateio entre os conselheiros, cujo empréstimo deveria ser restituído no menor tempo possível. Colaboraram: José Antonio Menezes, Eurico R. Aguiar e Pedro Berjon Lopes – Cr$ 2.000,00 cada; Nelson Ribeiro e Roberto Sasdelli – Cr$ 1.000,00 cada; Lauro Carjullo D’Almeida e Luiz Leivas Otero – Cr$ 500,00 cada.

BRASIL – Sob o lema “O Petróleo é Nosso”, reúnem-se sindicatos, organizações estudantis e militares nacionalistas e começa a campanha pela nacionalização do petróleo. Os setores contrários incluem parte dos empresários, políticos da UDN e do PSD e a grande imprensa. Prefeito nomeado pelo governo estadual: Rubens Ferreira Martins.

h0171v40
Equipe de tamboréu do clube, em 1947, inclusive à esquerda o presidente Roberto Sasdelli
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio
Gentil Zanin - Presidente
Janeiro à Março de 1950
Gentil Zanin, presidente de janeiro a março de 1950
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1950

Presidente: Gentil Zanin

Vice: Hamleto Celso Lins e Silva

Secretário: Manoel Mateu Martinez

Tesoureiro: Godofredo Abreu Lima Neto

Social: Ibrahim Curi

Esportes: Augêncio Miranda

Em março, necessitando ausentar-se da cidade para tratamento de saúde, Gentil Zanin pede licença por tempo indeterminado, tendo o Conselho Deliberativo resolvido deixá-lo como sócio honorário até o fim do mandato. Foi imediatamente substituído pelo vice, Hamleto Celso Lins e SIlva.

Num dos maiores acontecimentos de sua vida esportiva, a AABB-Santos vence o Banco Brasileiro de Descontos por 2 a 1 (tentos de Berjon e Popo), no campo da A.A. Americana (onde hoje é o colégio Primo Ferreira) e sagra-se campeã bancária de futebol, em torneio com 13 participantes e patrocinado pela Liga Santista de Futebol Amador.

BRASIL – Getúlio Vargas é reeleito para presidente da República pelo PTB, contando com o apoio de Ademar de Barros, então influente político de São Paulo e de seu Partido Social Progressista (PSP). População de Santos: 200.000 habitantes.

Eduardo Marques - Presidente
1951
Eduardo Marques, presidente em 1951
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1951 As eleições para presidente e vice da AABB eram feitas por votação secreta do Conselho Deliberativo. As cédulas em branco eram distribuídas aos presentes e, em seguida, nomeavam-se os escrutinadores e também uma comissão, para levar a notícia aos eleitos. Caso não houvesse nomes inscritos, votava-se livremente e, somente após a contagem dos votos, eram os eleitos avisados, geralmente no dia seguinte.

Assim, eram comuns as recusas a aceitar os resultados, obrigando o Conselho a nova reunião. Foi o que aconteceu com José Lemos Nogueira, que, declinando de sua indicação, obrigou a um novo escrutínio, elegendo-se, então, Eduardo Marques para presidente, e Manoel Mateu Martinez para vice, ficando os demais cargos à escolha do presidente.

A AABB sagra-se campeã do 1º Campeonato Bancário de Tamboréu.

BRASIL – Vargas toma posse e envia ao Congresso Nacional projeto para criação de uma empresa petrolífera, a Petrobrás. Flexibiliza as relações sindicais e permite a volta dos comunistas aos sindicatos. Prefeito nomeado pelo governo estadual: Joaquim Alcaide Valls.

h0171v07
Edifício Lutécia, em foto de 22 de setembro de 1953
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1952 – Como Eduardo Marques não aceitou sua recondução à presidência, procedeu-se a nova votação, ficando a diretoria assim composta:

 

Presidente: Ibrahim Cury

Vice: Nélson Ribeiro

Secretário: Lauro Carjullo D’Almeida

Tesoureiro: José Rodrigues

Social: Waldemar Carneiro da Silva

Esportes: Joaquim Simões

O bibliotecário era Álvaro Rodrigues Alonso e Nélson Bernardo substituiu a Lauro Carjullo D’Almeida na secretaria. Encarecendo a mudança da sede para local mais apropriado, oficiar-se-ia à Caixa Geral de Empréstimos do Estado – proprietária do Edifício Lutécia, situado à Avenida Ana Costa, nº 482, propondo Cr$ 6.000,00 pelo aluguel do último andar (o 5º).

BRASIL – Inaugurado o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDE) e estatizada a geração de energia elétrica. Criada a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). João Goulart é o ministro do Trabalho, Tancredo Neves o da Justiça, Oswaldo Aranha o da Fazenda. Prefeito nomeado pelo governo estadual: Francisco Luiz Ribeiro dos Santos.

Ibrhaim Cury - Presidente
1952
Ibrahim Cury, presidente em 1952
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio.
fotos066e
Trecho final da Avenida Ana Costa e Praça da Independência, em 1950
Foto: Poliantéia Santista, de Fernando Martins Lichti, vol. III, Gráfica Prodesan, Santos/SP, 1996

1953

Presidente: Jorge Guedes Monte Alegre

Vice: José Lemos Nogueira

Secretário: Alfredo de Castro

Social: Lycio Guimarães Kolhy

Tesoureiro: Nélson Ribeiro

Esportes: Joaquim Simões

A AABB muda sua sede para o Edifício Lutécia, um prédio de 5 andares, demolido em fins da década de 1970 e que, coincidentemente, deu lugar a outro edifício, onde hoje se encontra localizada a agência Gonzaga do Banco do Brasil. Ressalte-se que a Rua Cláudio Doneux ainda não tinha sido aberta.

Instituídas cadernetas sociais para serem distribuídas a todos os associados e autorizou-se a compra de molduras para acelerar a inauguração da galeria com as fotos dos presidentes. Numa jornada esportiva de grande repercussão, a AABB-Santos, representada por Pavel Martins e Octávio Lopes Neves (e Gianuário Buongermino na reserva) sagra-se campeã do I Torneio de Tamboréu de A Gazeta Esportiva.

BRASIL – É criada a Petrobrás (lei 2.004), estatal que monopoliza a extração e o refino do petróleo. Em represália, os Estados Unidos cancelam acordos de transferência de tecnologia e empresas norte-americanas derrubam o preço do café no mercado internacional. Greves por reajuste salarial atingem 300.000 trabalhadores em São Paulo e 100.000 marítimos no RIo de Janeiro. Prefeito eleito: Antonio Ezequiel Feliciano da Silva.

Lycio Guimarães Kolhy - Presidente
1954 à 1956
Lycio Guimarães Kolhy, presidente em 1954 e 1956
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio
1954

Presidente: Lycio Guimarães Kolhy

Vice: Haroldo Carlos Blank

Secretário: José Rodrigues Filho

Social: Bento Ramalho Júnior

Tesoureiro: Álvaro Rodrigues Alonso

Esportes: Luiz dos Santos

Em visita à cidade, Paulo Pinheiro Werneck, fundador do Satélite Clube, hoje AABB-Santos, é homenageado e saudado por Jorge Guedes Monte Alegre. Aprovada a inclusão no time de futebol, por falta de elementos do clube que reúnam qualidades técnicas às boas apresentações, de dois jogadores não pertencentes ao quadro de funcionários do Banco. AProvada a aquisição de um projetor cinematográfico sonoro e a confecção de uma caixa de madeira fechada para que o aparelho de TV não seja manipulado por pessoas não responsáveis.

BRASIL – Gregório Fortunato, chefe da guarda presidencial, contrata um pistoleiro para matar o jornalista Carlos Lacerda, opositor udenista. No atentado, porém, morre o major Rubens Vaz. Na manhã de 24 de agosto, Getúlio Vargas se suicida no Palácio do Catete e o vice-presidente, Café Filho, assume a presidência.

h0171v45
Vôlei de praia, em disputa com a equipe do Apolo, no 22º aniversário de fundação da AABB, em outubro de 1955
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1955

Presidente: Roberto Sasdelli

Vice: Pedro Berjon Lopes

Secretário: Nélson Ribeiro

Tesoureiro: José Rodrigues Filho

Social: Alfredo de Castro

Esportes: Joaquim Simões

Lucien Bellot substitui Alfredo de Castro e Sebastião Marcos Velloso a Joaquim Simões. José Schechtman, procurador do espólio de Moysés Schechtman, propõe à AABB a venda de um terreno à Avenida Ana Costa nº 442, medindo 22,5 m de frente por 60 m de fundos, e outro, com frente para a Rua Bahia, medindo 22,5 m x 40 m, pelo preço à vista de Cr$ 3.200.000,00. Como a AABB não dispunha dessa importância, solicitar-se-ia à Direção Geral um adiantamento sobre futuras subvenções semestrais. Ao pedido, seriam anexados laudos de avaliação feitos pelos engenheiros Thomaz Barata Ribeiro, do Banco, e Cândido Barreto Vallejo, da Prefeitura Municipal de Santos. Na carta, endereçada ao presidente do Banco, dr. Alcides Costa Vidigal, a AABB solicitava Cr$ 6.793.000,00, assim discriminados:

Cr$ 3.200.000,00 – valor dos terrenos

Cr$     96.000,00 – despesas com corretagem

Cr$    117.000,00 – lucro imobiliário

Cr$    380.000,00 – despesas de transmissão

Cr$ 3.000.000,00 – estimativa de construção da sede própria.

O Banco, de imediato, liberou Cr$ 3.700.000,00 e, no recebimento da correspondência, convidou-se os presentes a comparecer ao Cartório do 6º Ofício para assistir à assinatura da escritura de compra e venda dos imóveis situados no Gonzaga.

BRASIL – Juscelino Kubitschek é eleito para presidente da República pelo PSD e seu vice é João Goulart, do PTB. Alguns militares sugerem uma manobra para impedir a posse, mas o general Henrique Teixeira Lott, ministro da Guerra, dá um golpe preventivo e garante a posse de Kubitschek. População de Santos: 230.000 habitantes.

h0171v44
Time de futebol  no 22º aniversário de fundação da AABB, em outubro de 1955, vendo-se em pé, à esquerda, o presidente Roberto Sasdelli
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio
1956

Presidente: Lycio Guimarães Kolhy

Vice: Hélio Silveira Cysne

Secretário: Paulo Alambert

Tesoureiro: Umberto Garófalo

Social: José Ferreira

Esportes: Décio Alberto Simão

Patrimônio: Dionísio Vivian Eiroz

Bibliotecário: Álvaro Rodrigues Alonso

A agência de Santos do Banco do Brasil dispunha de 260 funcionários, dos quais 230 eram associados da AABB. Eram receitas gerais: renda ordinária mensal – Cr$ 30.000,00; renda extraordinária semestral – Cr$ 180.000,00.

Incumbido o diretor de Patrimônio a promover gestões para desocupação, pelo Departamento Nacional do Café, dos imóveis localizados nos terrenos adquiridos pela Associação. Proceder-se-ia à demolição e, com a construção de uma quadra para a prática de esportes, obter-se-ia isenção de impostos municipais. Por falta de interesse dos associados, foram suspensas as aulas gratuitas de esgrima.

BRASIL –  É anunciado o lema “Cinqüenta anos (de progresso) em cinco (de governo”. É o Plano Nacional de Desenvolvimento, que privilegia os setores de energia, transporte e educação. A atração do capital estrangeiro favorece a implantação de grande pólo automobilístico na região do ABC paulista. É criada a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

h0171v43
Inauguração do retrato de Lycio Guimarães Kolhy na galeria de ex-presidentes do clube
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1957

Presidente: Alfredo de Castro

Vice: Jorge Guedes Monte Alegre

Secretário: Nélson Ribeiro

Tesoureiro: José Rodrigues Filho

Social: Ismário Mesquita Martins Silva

Esportes: Carlos Augusto Siqueira Cunha

Patrimônio: Pedro Sertek

Bibliotecário: Álvaro Rodrigues Alonso

Alfredo de Castro expôs pormenores de sua ida ao Rio de Janeiro e dos contatos mantidos com diretores do Banco, havendo amplas possibilidades de ser deferido um empréstimo para início da construção de quadra múltipla e da sede social. Feita excursão à Bertioga (Colônia de Férias do SESC) e a Itanhaém (Colônia de Férias do CMTC).

A Revista da AABB, antes dirigida por Milton Teixeira, passa às mãos de Daniel de Castro. Solicitada à agência de Santos do Banco do Brasil a elevação do donativo mensal de 75 para 010 sacas de café, tendo em vista as despesas havidas com a aquisição dos imóveis. Explica-se: os cafés financiados pelo Banco no interior, quando desciam para armazenagem ou mesmo embarque para o exterior, eram submetidos à apreciação do Banco. Os proprietários entregavam as amostras para serem classificadas e as sobras eram ensacadas e posteriormente doadas à AABB.

BRASIL – Inicia-se a construção de Brasília, futura capital do país, com projeto urbanístico de Lúcio Costa e prédios governamentais projetados por Oscar Niemeyer. Situa-se no centro do estado de Goiás e sua construção demandou 41 meses. O prefeito eleito de Santos era Sílvio Fernandes Lopes.

Alfredo de Castro - Presidente
1957
Alfredo de Castro, presidente em 1957
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio
h0171v60
Freqüentadores da barraca de praia da AABB, na orla da praia santista, em 1955
Foto no acervo de A. Paulo Ribeiro, publicada na seção Imagem do Passado, do jornal santista A Tribuna, na edição de 8 de setembro de 2006
Ismário Mesquita Martins da Silva - Presidente
1958 à 1959
Ismário Mesquita Martins da Silva, presidente em 1958 e 1959
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1958

Presidente: Ismário Mesquita Martins Silva

Vice: Accácio Gama Antunes

Secretário: Paulo Alambert

Tesoureiro: José Rodrigues Filho

Patrimônio: Oswaldo Celso Novoa Leituga

Esportes: Joaquim Simões

Social: Joaquim de Mello Chaves

Bibliotecário: Álvaro Rodrigues Alonso

Estudava-se a construção de uma quadra múltipla (voleibol, basquete e futebol de salão) e também de um prédio de três andares, que contemplasse instalações de um vestiário completo, guarda do material e residência do zelador. Na frente, voltado para a Avenida Ana Costa, o projeto previa a construção de um parque infantil. Para tanto, deu-se entrada da planta na Prefeitura Municipal de Santos. Tendo em vista a elevação do aluguel para Cr$ 45.000,00 e a interdição pela Prefeitura para bailes e reuniões, por deficiências observadas na estrutura do prédio, a AABB planejava deixar o Lutécia e já procurava nova sede.

BRASIL – Estreitam-se as relações com os Estados Unidos e é criada a Operação Pan-Americana (OPA). O país vive um clima de confiança e otimismo, porém, apesar do crescimento econômico, os empréstimos externos e os acordos com o FMI resultam em aumento da inflação e arrocho salarial.

h0171v62
Esta foto de 1958 foi feita durante a construção da sede da AABB, na Avenida Ana Costa
Foto no acervo de Paulo Ribeiro, publicada na página A-10 do jornal santista A Tribuna, em 9 de abril de 2009, na seção Foto do passado
h0171v46
Inauguração da sede, em outubro de 1959, com equipe de futebol de salão
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1959

Presidente: Ismário Mesquita Martins Silva

Vice: Diogo Nogueira Sampaio

Secretário: Paulo Alambert

Tesoureiro: José Rodrigues

Patrimônio: Milton Affonso dos Santos

Esportes: Carlos Augusto Siqueira Cunha

Social: Alberto Ferreira

Bibliotecário: Nelson Ribeiro

Iniciadas as fundações em janeiro e já em dezembro estava sendo inaugurada a sede provisória. O prédio, ao lado da piscina, hoje abriga vestiários e é testemunha ainda viva de tudo o que aconteceu nos últimos anos. Em 31 de julho, com a construção ainda em andamento, realiza-se a 1ª reunião da AABB em instalações próprias. Nas homenagens que se seguiram, fez-se constar, abaixo do nome do presidente, o epíteto “Presidente Construtor”. Contrata-se zelador e porteiro para a nova sede e autoriza-se a aquisição de potente rádio de pilha para alegrar as manhãs domingueiras na barraca de praia.

BRASIL – Em dezembro, em Aragarças, Goiás, ocorre uma rebelião de oficiais da Aeronáutica, rapidamente sufocada. O mandato de Juscelino vai chegando ao fim em meio a várias manifestações de descontentamento popular, crescendo o número de greves no campo e nos principais centros industriais.

h0171v47
Inauguração da sede, em outubro de 1959, com Basquete Dentistas x Advogados
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1960

Presidente: Waldemar Carneiro Silva

Vice: José Rodrigues Filho

Secretário: Nélson Ribeiro

Tesoureiro: Paulo Alambert

Patrimônio: Milton Affonso dos Santos

Esportes: Antonio José Carvalho

Social: Roberto Gonçales de Rezende

Bibliotecário: Álvaro R. Alonso

Obtido junto aos arquitetos Octávio Conceição Paiva, Aníbal Martins Clemente e Otacílio Rodrigues Lima, anteprojeto de construção do edifício destinado à sede social. Admitido Carivaldo Felix de Oliveira como zelador da sede. Conferido título de sócio honorário a Joaquim Inácio Cardoso, alto funcionário da Direção Geral, e Carlos Cardoso, este no exercício de presidÊncia do Banco, em reconhecimento ao deferimento de donativo concedido pelo Banco, de Cr$ 4.500.000,00, para cuja decisão tiveram atuação destacada. Conferidos títulos de sócios laureados a Pavel Martins, Octávio Lopes Neves e Gianuário Buongermino (campeões santistas de tamboréu de 1953), e aos integrantes da equipe de futebol (campeã bancária de futebol de 1950), cujos feitos muito projetaram o nome da Associação. Firmava-se contrato com a Warner Bros., RKO Arthur Rank e MGM para exibição de filmes, que eram projetados na sede do Edifício Lutécia.

BRASIL – Brasília é inaugurada e Juscelino sai do governo deixando um grande crescimento econômico – média de 7% ao ano -, mas também desequilíbrio nas contas públicas e inflação alta. População de Santos: 263.000 habitantes.
Waldemar Carneiro da Silva - Presidente
1960 à 1961
Waldemar Carneiro da Silva, presidente em 1960 e 1961
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1961

Presidente: Waldemar Carneiro Silva

Vice: José Rodrigues Filho

Secretário: Nélson Ribeiro

Tesoureiro: Alexandra Farinella

Patrimônio: Roberto G. de Rezende

Esportes: Antonio José Carvalho

Social: Jóvio Dias Ferreira

Bibliotecário: Durval Cítero

Aprovadas as plantas do anteprojeto da sede, substituindo-se o local da piscina (que teria 6×12 m) por elemento ornamental. Para acompanhamento da obra, foi criada uma Comissão de Construção, composta por Waldemar Carneiro da Silva, Paulo Alambert e Alfredo de Castro. O construtor seria Arthur Guilherme Martinelli. Autorizada publicação na imprensa de Santos e de São Paulo para convocação de firmas interessadas em empreitar mão-de-obra e material para construção. Em novembro, Waldemar Carneiro da Silva renuncia à presidência, sendo substituído por José Rodrigues Filho.

BRASIL – Jânio Quadros toma posse e defende uma política externa independente. Adota a austeridade econômica ditada pelo FMI, restringe o crédito e congela salários. Num gesto nunca explicado inteiramente, renuncia em 25 de agosto. A Constituição de 1946 é reformada para estabelecer o parlamentarismo e João Goulart toma posse. Prefeito eleito de Santos: Luiz La Scala Júnior, que, devido a acidente automobilístico no qual perdeu a vida, é substituído por José Gomes.

h0171v48
Equipe feminina da AABB santista disputa em maio de 1961 com a equipe da AABB carioca
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1962

Presidente: Antonio José Mendes

Vice: Paulo Alambert

Secretário: Sylvio Ernani Tavares

Tesoureiro: Walmir Assis D’Antonio

Patrimônio: Jóvio Dias Ferreira

Esportes: Ney Carvalho Júnior

Social: Luiz Antonio Gomes Pinto

Bibliotecário: Durval Cítero

O novo presidente é adepto das edificações da sede dentro das bases estabelecidas no projeto inicial, isto é, com a piscina. Após várias alternâncias, inclusive com apresentação de relatório atualizado com os custos de maquinaria, tratamento da água, revestimento reforçado, novas plantas etc., levou-se à votação se seria ou não construída a piscina. Procedido escrutínio secreto, houve empate por cinco votos. O presidente do Conselho, Cândido Azeredo Filho, dando o “voto de Minerva”, pronunciou-se pela supressão da piscina. Às reuniões, comparecia sempre Hélio Silveira Cysne, funcionário do Departamento de Engenharia do Banco do Brasil em São Paulo. Em outubro, o construtor comunicava o final das obras de fundação.

BRASIL – Criação da Central Geral dos Trabalhadores (CGT). O governo de João Goulart é marcado por diferentes conflitos sociais, greves urbanas e rurais. O parlamentarismo, estratégia da oposição para manter o presidente sob controle, é derrubado em um plebiscito nacional em que 80% dos eleitores votam pela volta do presidencialismo.

Antonio José Mendes - Presidente
1962 à 1963
Antonio José Mendes, presidente em 1962 e 1963
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1963

Presidente: Antonio José Mendes

Vice: Paulo Alambert

Secretário: Olympio Bastos Dias

Tesoureiro: Nélson Santos Silva

Patrimônio: Donato Malpighi

Esportes: Umberto Fernandes

Social: Luiz Antonio Gomes Pinto

Bibliotecário: Durval Cítero

Feito ofício à srta. Maria Rosa de Aragão, agradecendo sua participação no concurso “A mais bela esportista”, representando a AABB. Liderados por Aryldo Cândia Barbosa, 152 associados convocaram Assembléia Geral Extraordinária para discutir e firmar ponto de vista definitivo a respeito da construção da piscina, cujo projeto fora suprimido da planta original. Após vários apartes, procedida a votação, computou-se 97 votos pela construção da piscina. Assim, recomendar-se-ia aos órgãos diretivos da AABB o imediato acatamento à soberana decisão da Assembléia Geral.

BRASIL – O ano é marcado por greves e insurreições de toda espécie. A oposição acusa João Goulart de estar preparando um golpe comunista, ainda mais por ter promovido grande comício na estação da Central do Brasil, no Rio de Janeiro, ao qual compareceram mais de 300 mil pessoas. A tensão cresce.

h0171v61

A AABB COMEMORAVA 31 ANOS – Os veteranos do Banco do Brasil de Santos, que venceram os da capital – A Associação Atlética Banco do Brasil comemorava o seu 31º aniversário de fundação com a realização de eventos sociais e esportivos. A diretoria da simpática agremiação não esqueceu os veteranos do futebol e promoveu partida entre os do Banco de Santos e os da Capital. Imitando o glorioso e jamais igualado Santos Futebol Clube, os veteranos da AABB de Santos derrotaram os da Capital por 3 a 2. Na foto que publicamos estão os veteranos de Santos

Foto: reprodução, publicada com essa legenda na coluna A Tribuna nos anos 60 (publicada em 8 de outubro de 2005) mantida pelo jornalista Hamleto Rosato no jornal A Tribuna (página C-7), e referente ao dia 8 de outubro de 1964, uma quinta-feira

1964

Presidente: Olympio Bastos Dias

Vice: Roberto Silvestre Ameleto

Secretário: Arany Pinto Ribeiro

Tesoureiro: Milton Tavares de Oliveira

Patrimônio: Erik Edgaard Andersen

Esportes: José Gilberto Sérvulo Cunha

Social: Jóvio Dias Ferreira

Barraca: Luiz Antonio Gomes Pinto

Em junho, todo o Conselho de Administração e o Deliberativo demitem-se, sendo substituídos por Paulo Alambert, na presidência, Antonio José Mendes e Milton Affonso dos Santos.

Ao iniciar-se a concretagem da sobrelaje de sustentação de água da piscina, o construtor, dr. Arthur Guilherme Martinelli, pediu que se ouvissem técnicos especializados em piscinas, já que se questionava sua construção. É preciso que se faça um pequeno adendo à questão: a piscina de que tanto se fala seria construída no corpo da sede, ocuparia dois andares de altura e seria voltada para a Avenida Ana Costa. Debatia-se tudo, desde as dimensões diminutas (12 x 6 m), o formato cônico e suspenso, a profundidade, incompatível para crianças, e até as despesas de manutenção que acarretaria. Os que hoje adentram a sede, podem verificar as paredes irregulares e a disposição cuneiforme que a planta original contemplava e que até os dias de hoje se mantêm.

BRASIL – Em 31 de março, um golpe militar derruba o governo de João Goulart, que se refugia no Uruguai. Em 1º de abril é declarada vaga a presidência da República e autoridades militares assumem o poder. No dia 9 é decretado o Ato Institucional nº 1, que cassa mandatos e direitos políticos. Em 20 de abril, o Congresso elege para presidente o general cearense Humberto de Alencar Castelo Branco. O comandante Fernando Hortalla Riedel é nomeado prefeito pela Câmara de Vereadores.

Olympio Bastos Dias - Presidente
1964
Olympio Bastos Dias, presidente em 1964
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

Eu sou um bloco de texto. Clique no botão Editar (Lápis) para alterar o conteúdo deste elemento.

1965

Presidente: Severino Aguiar

Vice: Júlio de Castro Ória

Secretário: Edgard Ferreira

Tesoureiro: Dionísio Vivian Eiras

Patrimônio: Fábio Azeredo Coutinho

Esportes: Elias Jorge Afeche

Social: Umberto Fernandes

Bibliotecário: José Octávio A. Filgueiras

O Conselho Deliberativo era composto por Jonathas Mattos Júnior, Mário Gonçalves Luz e Lauro Carjullo D’Almeida. Concedido o título de sócio benemérito a Roberto Sasdelli, pelos serviços prestados à AABB. Rubens Jesus Rodrigues assume a Tesouraria no lugar de Dionisio Vivian Eiras. O presidente, devidamente instruído com orçamentos e fotos do atual estágio da construção, vai ao Rio de Janeiro e obtém na Diretoria Geral um empréstimo destinado ao prosseguimento das obras da sede. Começam a vencer as parcelas do empréstimo anteriormente obtido. Foram reativadas as sessões cinematográficas (substituiu-se no projetor a lâmpada de 700 watts por outra mais forte, de 1.000 watts), com a película O diário de Anne Frank.

BRASIL – O Ato Institucional nº 2 suspende as garantias constitucionais e estabelece o bipartidarismo. Os políticos, então, reagrupam-se, a maioria na Arena, do governo, e os demais no MDB, de oposição. A eleição presidencial seria pela maioria absoluta do Congresso Nacional, em sessão pública e votação nominal. A população de Santos chegava aos 300.000 habitantes e o prefeito, eleito, era Sílvio Fernandes Lopes.

Severino Aguiar - Presidente
1965
Severino Aguiar, presidente em 1965
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1966

Presidente: Rubens Assumpção Batalha

Vice: Flávio P. Amorim Filgueiras

Secretário: Antonio José Carvalho

Tesoureiro: Albino Leme do Prado

Patrimônio: Rubens Cabral

Esportes: Osmarino Antunes

Social: Hélio Gilberto Martins

Barraca: José Paulo Mauá

Com o crescente aumento dos preços do material de construção e da mão-de-obra, e tendo sido repelida solicitação para aumento das mensalidades, as obras caminhavam vagarosamente. A Direção Geral, consultada a respeito, autorizava o reescalonamento da dívida, condicionando tal medida ao aumento das mensalidades, de Cr$ 2.000 para Cr$ 5.000 (em 1964, abolira-se o centavo). Em levantamento feito pelo Banco, existiam 268 AABBs pelo Brasil afora.

BRASIL – O Ato Institucional nº 3 estabelece eleição indireta para governadores dos Estados pelas respectivas Assembléias Estaduais. Dada a reação do Congresso, este é fechado por 30 dias, em outubro. Em seguida, é reconvocado pelo Ato nº 4 e pressionado a aprovar nova Constituição, que institucionaliza o Regime Militar.

Rubens Assumpção Batalha - Presidente
1966 à 1967
Rubens Assumpção Batalha, presidente em 1966 e 1967
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1967

Presidente: Rubens Assumpção Batalha

Vice: Albino Leme do Prado

Secretário: Lauro Sotto

Tesoureiro: Antonio Sansivieri

Patrimônio: Cléber Souza Cotrofe

Esportes: Osmarino Antunes

Social: Nestor Toffoli

Bibliotecário: Walter Toni

No Patrimônio, sai Cleber Souza Cotrofe e entra Raul Vasconcellos de Menezes. Começa a funcionar o 1º Plano de Automóveis da AABB-Santos,organizado por Rubens Assumpção Batalha, José Paulo Mauá e Clóvis Marques, depois substituído por Hélios Grecco. Tão grande foi a adesão que Raul Vasconcellos de Menezes preparava-se para organizar o 2º Plano.

BRASIL – A partir de fevereiro, implanta-se nova moeda, o cruzeiro novo, voltando os centavos. Assim, NCr$ 1,00 passa a valer Cr$ 1.000 antigos. Ministro do Exército, o general gaúcho Artur da Costa e Silva assume a Presidência, eleito indiretamente pelo Congresso Nacional. A disponibilidade externa de capital – a época do milagre econômico – diversifica o crescimento do país e são feitos pesados investimentos em infra-estrutura (rodovias, ferrovias, portos, usinas hidrelétricas e nucleares, turbinas e veículos). Em Santos, em 9/1/1967, ocorre a explosão do Gasômetro, na Rua Marechal Pego Júnior, que deixa 300 feridos e a cidade em pânico.

1968

Presidente: Raul Vasconcellos Menezes

Vice: Nilton Fonseca Pereira

Secretário: Celso Lobo

Tesoureiro: Antonio Sansivieri

Patrimônio: Orlando Escobar Borges

Esportes: Lauro José Farinas

Social: Odair Cunha de Araújo

Barraca: Hamilton Ramos Linden

Apresentada proposta de compra do imóvel à Rua Bahia nº 109, em terreno de 13,5 x 40 m, por NCr$ 100.000,00. Tendo a Direção Geral negado a antecipação das cotas patronais, apresentavam-se três alternativas para a aquisição: a) aumento das mensalidades para NCr$ 10,00 (com boa acolhida); b) contribuição espontânea para tal fim; c) elaboração de plano de automóveis, com prioridade para a AABB na retirada dos primeiros carros.

A AABB cedia a água mineral para os setores administrativos do Banco, já que não existia verba para tal fim, e este fazia à AABB doação das sobras de café que passavam pela Seção de Fiscalização. Divergências surgiram e tal acordo foi rompido, passando o Banco a distribuir o café entre seus funcionários. Inaugurado o salão de festas, com coquetel e ao som de Simonetti-Órgão e Conjunto.

BRASIL – 68 municípios, incluindo todas as capitais, são transformados em zonas de segurança nacional, com prefeitos nomeados pelo próprio presidente. Não conseguindo do Congresso licença para processar o deputado Márcio Moreira Alves, por ter feito discurso ofensivo às Forças Armadas, o Ato Institucional nº 5 fecha o Congresso e acaba com a garantia do habeas-corpus, promovendo a repressão.

Raul Vasconcellos Menezes - Presidente
1968 à 1971
Raul Vasconcellos Menezes, presidente de 1968 e 1971
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1969

Presidente: Raul Vasconcellos Menezes

Vice: José Antonio Menezes

Secretário: Umberto Fernandes

Tesoureiro: Antonio Sansivieri

Patrimônio: José Orozimbo

Esportes: Paulo Alambert

Social: Odil Tessari

Bibliotecário: João Chrispiano

O Conselho Deliberativo era composto por Ibrahim Cury, Diogo Nogueira Sampaio e Antonio Carlos Martinez. Pedidos NCr$ 40.000,00 à Direção Geral para conclusão das obras da sede social e aquisição da casa à Rua Bahia. Vieram apenas NCr$ 28.000,00 de antecipação de cotas patronais. O escritório de Umberto Fernandes começa a executar os serviços de escrituração contábil da AABB.

BRASIL – Paralisado por um derrame, Costa e Silva deixa a presidência, sendo substituído temporariamente por uma junta formada pelos ministros militares (Lyra Tavares, A. Rademakere Márcio Mello). A Constituição é reformada, incorporando plenos poderes políticos, eleitorais e econômicos ao presidente da República. O prefeito nomeado pelo presidente da República é o general Clóvis Bandeira Brasil.

h0171v49
Num aniversário da AABB, sua equipe feminina disputou com a do Santos F.C.
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio
1970

Presidente: Raul Vasconcellos Menezes

Vice: José Antonio Menezes

Secretário: Umberto Fernandes

Tesoureiro: Antonio Sansivieri

Patrimônio: José Carlos Barroso

Esportes: Gilson Nunes M. Pereira

Social: Odil Tessari

Barraca: Nilo Lopes

Na casa voltada para a Rua Bahia, adquirida mediante aumento das mensalidades, é criada uma escola de Jardim da Infância para os filhos dos associados. Chamava-se “O Peralta”. O Conselho Deliberativo era composto por Matteo Coscia, Carlos Augusto Siqueira da Cunha e Rubens Cabral.

BRASIL – A moeda brasileira sofre nova alteração: Cr$ 1,00 vale NCr$ 1,00 a partir de junho. A alta oficialidade das três Armas escolhe como presidente o general gaúcho Emílio Garrastazu Médici, que comanda o período mais brutal da ditadura militar, batizado de “anos negros” ou “anos de chumbo”. Censura a imprensa, combate os movimentos estudantis e sindicais e faz espalhar pelo país os centros de tortura, ligados ao DOI-Codi (Centro de Operações da Defesa Interna). O Estado lança projetos faraônicos, como a rodovia Transamazônica. É inaugurada em Paulínia (SP) a maior refinaria de petróleo do País. Santos tinha 342.000 habitantes.

1971

Presidente: Raul Vasconcellos Menezes

Vice: Antonio Sansivieri

Secretário: Octávio Muneyuke Arata

Tesoureiro: Nilton Fonseca Pereira

Patrimônio: Amílcar de Andrade

Esportes: Gilson Nunes M. Pereira

Social: Nestor Toffoli

Barraca: Nilo Lopes

Volta à baila o assunto da construção da piscina. O vão lá estava e continuavam acaloradas as discussões sobre se deviam fechá-lo, para futuro aproveitamento da área, ou fazer a piscina. Consultado, o Conselho Deliberativo, com Matteo Coscia, Paulo Alambert e Aristides José de Carvalho, resolve autorizar a admissão como sócios de parentes de associados até o 2º grau.

BRASIL – Adotando o slogan “Brasil, Ame-o ou Deixe-o”, respalda-se o endurecimento político pelo chamado “milagre econômico”. O PIB cresce a uma média de 11,2% ao ano e a inflação média não passa de 18%. Na área social, todavia, os índices de educação e saúde são baixos, e aumenta a concentração de renda.

h0171v50
Obras de edificação da sede da AABB (data não determinada)
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio
972

Presidente: Diogo Nogueira Sampaio

Vice: Elias Jorge Afeche

Secretário: Nilton Fonseca Pereira

Tesoureiro: Roberto Silvestre Ameleto

Patrimônio: José Rodrigues Filho

Esportes: Paulo Alambert

Social: Rubens Jesus Rodrigues

Barraca: Aristides José de Carvalho

Obedecendo à Secretaria de Higiene da Prefeitura Municipal de Santos, é retirado o vestiário existente na barraca de praia. É fechado o colégio “O Peralta”. Comunicada a aquisição de imóvel à Rua Bahia nº 101, por Cr$ 90.000,00, sendo R$ 18 mil de entrada e mais 12 prestações mensais de Cr$ 6.000,00. Mostrada aos presentes a planta de conclusão das obras da sede social, com o fechamento do vão destinado à piscina. A AABB dispunha, em sua sede, de barbeiro e manicura, com preços mais baratos que os da concorrência.

BRASIL – Seqüestros políticos, prisões, mortes e repressão chegam ao seu ponto máximo. O cônsul do Japão em São Paulo, Nodôo Okuchi, o embaixador alemão Ehrenfried von Hollebe e o embaixador suíço Giovanni Bucher são seqüestrados e trocados por presos políticos. Por outro lado, Carlos Marighela, Mário Alves de Souza Vieira, Eduardo Leite, Carlos Lamarca e Alexandre Vanuchi Leme, entre outros, são mortos pelos órgãos de repressão.

1973

Presidente: Diogo Nogueira Sampaio

Vice: Elias Jorge Afeche

Secretário: Edgard Ferreira

Tesoureiro: Roberto Silvestre Ameleto

Patrimônio: José Orozimbo

Esportes: Paulo Alambert

Social: Rubens Jesus Rodrigues

Bibliotecário: Hélio Simão

O Conselho Deliberativo, pelo 2º ano consecutivo, era composto por Ibrahim Cury, Antonio Marques de Oliveira e Frederico Guilherme Serra. Existiam 470 AABBs, com os respectivos auxílios do Banco regulamentados pelos avisos-circulares 5.660 e 4.707. Eram equivalentes ao total das mensalidades dos associados. Aprovato voto de pesar pelo falecimento de Raul Vasconcellos Menezes, ocorrido durante assalto a supermercado em São Paulo.

BRASIL – O ex-deputado federal Rubens Paiva é preso em sua casa, no Rio de Janeiro, e entra para a lista dos desaparecidos. Mais tarde, chega a informação de que ele morrera sob tortura nas celas do DOI-Codi, sendo enterrado clandestinamente. A oposição lança a “anticandidatura” do deputado Ulysses Guimarães para a Presidência, com o jornalista Barbosa Lima Sobrinho como vice.

Diogo Nogueira Sampaio - Presidente
1972 à 1973
Diogo Nogueira Sampaio, presidente em 1972 e 1973
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio
Antonio Alonso Medina - Presidente
1974
Antonio Alonso Medina, presidente em 1974
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1974

Presidente: Antonio Alonso Medina

Vice: Alberto Ferreira

Secretário: Ayrton Rocha Lima Filetti

Tesoureiro: Tarcísio José M. Ferreira

Patrimônio: Antonio Sansivieri

Esportes: José Roberto Alves Moura

Social: Graciliano Pinheiro Filho

Cultural: Antonio Datti

Salim Amiz da Silva substitui Tarcísio José M. Ferreira e Antonio Datti assume a vice-presidência, dada a transferência de Alberto Ferreira para o Banco Central em São Paulo. Indicado o sr. Arthur Berjon, por ser antigo conhecedor dos assuntos do clube, para ser administrador da sede. Eram contratadas funcionárias para atendentes da Secretaria e da Biblioteca.

BRASIL – O general gaúcho Ernesto Geisel assume a presidência, escolhido pelo Colégio Eleitoral. Dificuldades indicam o fim do milagre econômico: dívida externa alta, inflação e crise internacional do petróleo. Isso ameaça a estabilidade do Regime Militar e é iniciada “lenta, gradual e segura” abertura política. O prefeito de Santos, nomeado pelo governador do Estado, é Antonio Manoel de Carvalho.

Odil Tessari - Presidente
1975
Odil Tessari, presidente em 1975
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1975

Presidente: Odil Tessari

Vice: Douglas Bornir

Secretário: Ayrton Rocha Lima Filetti

Tesoureiro: Antonio Sansivieri

Patrimônio: Alfredo José da Motta

Esportes: Antonio Carlos F. Hess

Social: Edgard Mendes Baptista Jr.

Cultural: Solange Moraes de Araújo

Iniciavam-se os estudos para a construção da piscina e de um ginásio coberto, ambos nos terrenos voltados para a Rua Bahia. Transferida à AABB a programação dos festejos comemorativos do aniversário da agência de Santos do Banco do Brasil. Seriam sorteados televisores, rádios etc., e seriam servidos salgados e bebidas. O Banco crescia e as AABBs também: existiam 1.250. O Conselho Deliberativo, já pelo 2º ano, era composto por Diogo Nogueira Sampaio, Elias Jorge Afeche e Salim Amiz da Silva.

BRASIL – A linha dura, encastelada nos órgãos de repressão e nos comandos militares, desencadeia uma onda repressiva contra militantes/simpatizantes do PCB, culminando com o assassinato do jornalista Wladimir Herzog, numa sala do DOI-Codi do 2º Exército. Sua morte é grosseiramente apresentada como suicídio. O fato provocou grande indignação em São Paulo, principalmente na classe média e na Igreja. População de Santos: 375.000 habitantes.

h0171v16
Na AABB, I Mini-Open de Xadrez, em 1976
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1976

Presidente: Mário Fernandes Gomes

Vice: Antonio Sansivieri

Secretário: Antonio Lopes Ferrão

Tesoureiro: Hélio Gomes

Patrimônio: Nélson Ferreira

Esportes: Ednaldo Néri de Lima

Social: Manoel Carrera

Cultural: Davi de Araújo

Realizou-se o I Mini-Open de Xadrez, patrocinado pela AABB de Santos. Considerado como o maior torneio da espécie realizado na cidade, contou com a participação de 300 enxadristas de todo o país. Além dos que pernoitaram na sede da AABB, a Prefeitura disponibilizou 44 alojamentos e 140 camas em local que melhor conviesse à AABB. O torneio, realizado num fim de semana, foi o primeiro a ter seus resultados obtidos através de computador, gentilmente cedido pelos Supermercados Peralta, de Cubatão.

BRASIL – Geisel promulga a Lei Falcão, impedindo o debate político nos meios de comunicação, reflexo do expressivo crescimento da oposição em 1974. Em circunstâncias semelhantes às de Wladimir Herzog, é morto o operário Manuel Fiel Filho, e mais uma vez a versão é suicídio por enforcamento. O presidente, descontente, estabelece pontos de contato com a sociedade, cessa a tortura nos DOI-Codi, mas não termina a violência da linha dura.

Mário Fernandes Gomes - Presidente
1976
Mário Fernandes Gomes, presidente em 1976
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1977

Presidente: Antonio Sansivieri

Vice: Antonio Carlos Fernandes Hess

Secretário: Antonio Marques F. Neves

Tesoureiro: Paulo Roberto Littig

Patrimônio: Ronaldo Romano

Esportes: Clóvis Marques

Social: Edgard Mendes Baptista Júnior

Cultural: Luiz Álvaro F. Almeida

Interromperam-se as programações sociais no salão superior em virtude da troca da cobertura da sede. Seriam instalados condicionadores de ar nas salas da diretoria, do xadrez e da biblioteca. Realizado o II Open de Xadrez, tendo participado 380 jogadores, um recorde em comparecimentos até hoje não igualado. A AABB administrava o restaurante localizado no 10º andar da agência de Santos do Banco do Brasil. Estudava-se a aquisição de um mimeografo. Com o tempo, as AABBs tornaram-se empresas de porte razoável, necessitando ser geridas de perto. Atento a esse detalhe, o Banco liberou um diretor (no caso, o presidente) dos seus serviços e colocou-o em tempo integral no clube, pagando-lhe inclusive comissão de Chefe de Supervisores.

BRASIL – Em abril, o Congresso é colocado em recesso por duas semanas e baixa-se o “pacote de abril”, que altera as regras eleitorais para garantir a maioria do partido governista, a Arena. É criado o “senador biônico”, eleito indiretamente pelas Assembléias estaduais e aumenta-se o mandato do presidente de 5 para 6 anos. Em setembro, liderada pelo coronel Erasmo Dias, a PM invade violentamente a Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo, com a finalidade de impedir a reorganização da União Nacional dos Estudantes (UNE), na ilegalidade.

Luiz Fernando Moran - Presidente
1978
Luiz Fernando Moran, presidente em 1978
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1978

Presidente: Luiz Fernando Moran

Vice: Flávio Figueiredo

Secretário: James Law Pereira Filho

Tesoureiro: Nélson Dias

Patrimônio: Vanderlice Soares de Andrade

Esportes: Lourival de Abreu

Cultural: Washington Luiz Carregosa

Ireno José Santos assume o Patrimônio em lugar de Vanderlice Soares de Andrade. Continuavam as obras de reconstrução do telhado da sede, ao passo que pediam-se orçamentos para a construção da piscina e da quadra de esportes, para o quê iniciara-se a demolição das casas da Rua Bahia. Lamentava-se o estado de saúde do presidente Luiz Fernando Moran, internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde viria a falecer. O Conselho Deliberativo era composto por Décio Alberto Simão, Tarcísio José Marques Ferreira e Vânia Maria G. Araújo Pinto.

BRASIL – Emenda Constitucional acaba com o AI-5, restaurando o habeas-corpus, devolvendo os direitos políticos aos cidadãos e acabando com a censura prévia a publicações e espetáculos. Abre-se o caminho da esperada normalização do país, voltando o MDB a ganhar as eleições. O governo amarga os efeitos da crise do petróleo, da recessão internacional e do aumento da taxa de juros, que colocam a dívida externa em patamar crítico. Os sindicatos se reorganizam e Luiz Inácio Lula da Silva, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, lidera a 1ª greve desde 1964.

Nilo Lopes - Presidente
1979
Nilo Lopes, presidente em 1979
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1979/1980

Presidente: Nilo Lopes

Vice: Antonio Sansivieri

Secretária: Maria A. P. Oliveira

Tesoureiro: Osmar Lopes

Esportes: Lauro Leite Soares Júnior

Social: José Alberto Ribeiro

O mandato do Conselho de Administração passa a ser de 2 anos. Com os orçamentos à mão, firma-se contrato para a construção da piscina. Pelo falecimento repentino de Nilo Lopes, em outubro de 1979, a diretoria renuncia, elegendo outra, assim composta:

Presidente: Antonio Sansivieri

Vice: Arnaldo Ferreira

Secretário: Josimar Ramos de Oliveira

Financeiro: Osmar Lopes

Patrimônio: Antonio Paula Souza

Esportes: Cláudio Toledo Moraes

Social: Sussumo Konda

Barraca: Luiz Mário Galvão Filgueiras

Falece o funcionário Carivaldo Felix de Oliveira, zelador da sede, admitido em outubro de 1959. É afastado o concessionário do restaurante da agência de Santos do Banco do Brasil.

BRASIL – O general carioca João Baptista de Oliveira Figueiredo assume a Presidência da República e sanciona lei que concede anistia aos acusados ou condenados por crimes políticos e centenas de exilados começam a retornar ao País. É restabelecido o pluripartidarismo e a Arena transforma-se no PDS e o MDB no PMDB. Multiplicam-se as greves e os movimentos de protesto. Prefeitos nomeados pelo governador do Estado: Carlos Caldeira (maio/1979 a janeiro/1980) e Paulo Gomes Barbosa (janeiro/1980 a agosto/1984). População da cidade: 410.000 habitantes.

1981/1982 –

Presidente: Antonio Sansivieri

Vice: Antonio de Paula Souza

Secretário: Josimar Ramos de Oliveira

Financeiro: Osmar Lopes

Patrimônio: Antonio Paula Souza

Esportes: Cláudio Toledo Moraes

Social: Manoel Carrera

Barraca: Arnaldo Pereira da Silva

Depto. Fem.: Maria Fátima O. Caseri

Relações Públicas: Ednaldo N. Lima

Antonio Taveira substitui Cláudio Toledo Moraes no Departamento de Esportes e, como homenagem a Nilo Lopes e Luiz Fernando Moran, seriam seus nomes apostos nos conjuntos que formarão o futuro complexo esportivo. O término da construção da piscina passara à responsabilidade da AABB, tendo em vista a falência do vencedor da concorrência, que fora indicado pela Direção Geral. Em novembro de 1982, Antonio Paula Souza é efetivado na presidência, dado o repentino falecimento de Antonio Sansivieri, acometido por problemas cardíacos. A sala da presidência, como homenagem a esse grande abebeano, levaria o nome de Antonio Sansivieri.

BRASIL – Os militares da linha dura tentam barrar a distensão política e cartas-bombas estouram na sede de instituições democráticas. O episódio mais grave é o mal-sucedido atentado terrorista promovido por militares no centro de convenções Riocentro, no Rio de Janeiro, em 30 de abril, quando uma das bombas preparadas para o local explode no interior de um carro ocupado por um sargento, que morre no local. Milhares de jovens assistiam a um festival de música e, apesar das evidências, o governo não admite a participação dos militares no atentado.

Antonio Sansivieri - Presidente
1977, 1980 à 1982
Antonio Sansivieri, presidente em 1977, 1980, 1981 e 1982
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1983/1984

Presidente: Antonio de Paula Souza

Vice: Milton Affonso dos Santos

Secretário: Ademir Carrião José

Financeiro: Walmir A. D’Antonio

Patrimônio: Humberto J. F. Neves

Esportes: Lauro Soares Leite Jr.

Social: Ednaldo Néri de Lima

O Conselho Deliberativo era composto por Frederico Guilherme Serra, Milton Tavares de Oliveira e Arany Pinto Ribeiro. No Departamento Social, Ednaldo Néri de Lima era substituído por Manoel Carrera, que também era substituído por Odair Cunha de Araújo. Eram iniciados entendimentos com a Direção Geral objetivando adiantamento para aquisição do sobrado nos fundos da AABB, para construção do ginásio coberto. Com a extinção da Revista da AABB, em 1972, nada mais foi registrado com referência às atividades do clube, motivo pelo qual enfatizava-se a necessidade de uma publicação que preservasse a memória do clube.

BRASIL – Surgem as primeiras manifestações a favor das eleições diretas para a presidência da República. Grandes comícios se realizam nas principais cidades do País e se adota o slogan“Diretas-Já”. A emenda constitucional apresentada pelo deputado Dante de Oliveira é rejeitada e a eleição do presidente permanece nas mãos do Colégio Eleitoral. O candidato do PDS é Paulo Maluf e o do PMDB é Tancredo Neves. Santos já tem o seu prefeito eleito: Oswaldo Justo.

Antonio de Paula Souza - Presidente
1983 à 1984
Antonio de Paula Souza, presidente em 1983 e 1984
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1985/1986

Presidente: Odair Cunha de Araújo

Vice: Severino Aguiar

Secretário: Aristides J. Carvalho

Financeiro: Walmir A. D’Antonio

Patrimônio: Humberto José F. Neves

Esportes: Marcos Bessa Nisti

Social:  Manoel Carrera

Cultural: Luiz Carlos Peres

Barraca: Luiz Álvaro F. Almeida

Aposentados: Marcelo O. Fonseca

Os presidentes da Diretoria, Odair Cunha de Araújo, e do Conselho Deliberativo, Diogo Nogueira Sampaio, vão a Brasília tratar da aquisição do imóvel da Rua Bahia nº 111, limítrofe à AABB. A diferença entre o empréstimo da Direção Geral (Cr$ 220.000,00) e o valor do imóvel (Cr$ 250.000,00 mais Cr$ 25.000,00 de despesas com escritura) seria coberta por aumento das mensalidades. A AABB, coordenada por Antonio Taveira, participa pela 1ª vez do Carnaval de Areia, concurso efetuado entre as barracas de praia. Com enredo e música elaborados por Luiz Álvaro Ferreira de Almeida, as fantasias feitas por Antonio Carlos Pinto Nogueira e Lourival de Abreu, a AABB obtém o 2º lugar.

BRASIL – A partir de março de 1986, entra em vigor o Cruzado: Cz$ 1,00 = Cr$ 1.000,00. Tancredo Neves é eleito presidente da República pelo Colégio Eleitoral, mas, na véspera da posse, é internado às pressas com graves problemas intestinais. Após sua morte, em 21 de abril de 1985, José Sarney, o vice, assume de forma definitiva. É lançado o “Plano Cruzado” para combater a inflação, que atingia 233% ao ano, em 1985. Até o fim do mandato, o governo Sarney lança mais três planos de estabilização, que não atingem o resultado esperado.

Odair Cunha de Araújo - Presidente
1985 à 1986
Odair Cunha de Araújo, presidente em 1985 e 1986
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1987/1989

Presidente: Orlando Escobar Borges

Vice: Antonio Paula Souza

Secretária: Celisa A. S. G. Laponte

Financeiro: Léo Ribeiro

Cultural: Marcos A. Santana

Esportes: Renato Arruda Brigagão

Social: Emanoel Alonso Domingues

Barraca: Luiz Antonio Gomes Pinto

Em obediência aos novos Estatutos, unificados pela Direção Geral, os mandatos seriam de três anos. Posteriormente, saíram Renato Arruda Brigagão, Emanoel Alonso Domingues e Celisa A. S. G. Laponte, entrando, respectivamente, Marcos Bessa Nisti, Flávio Elias Manso e Aristides José de Carvalho. Suplementando à Federação Nacional das AABBs (Fenab), criam-se os Conselhos Estaduais de AABBs (Cesab).

Em concurso de nível nacional, efetuado em maio de 1988, é criado um novo logotipo da AABB-Santos, em substituição às quatro letras circundadas e entrelaçadas. O atleta Fábio Goulart, campeão brasileiro de taekondo, é patrocinado pela AABB na disputa do campeonato mundial da modalidade disputado na Inglaterra. Teria o logotipo da AABB pintado na manga, no peito e nas costas do quimono.

BRASIL – A moeda brasileira perde mais três zeros e surge o Novo Cruzado (NCz$ – Cz$ 1.000,00). Deputados federais e senadores reúnem-se como Assembléia Geral Constituinte, em fevereiro, e, em outubro de 1988 é promulgada a nova Constituição. Durante a elaboração, uma dissidência do PMDB forma o PSDB, partido com programa de perfil reformista. Acontecem as primeiras eleições diretas para a presidência da República desde 1960, vencendo Fernando Collor de Mello, ex-governador de Alagoas, que derrota no 2º turno a Luiz Inácio Lula da Silva, do PT. As eleições diretas para a prefeitura de Santos são vencidas por Telma de Souza.

Orlando Escobar Araujo - Presidente
1987 à 1988
Orlando Escobar Araújo, presidente em 1987  e 1988
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1990/1992

Presidente: Luiz Álvaro F. Almeida

Vice: Aristides José de Carvalho

Secretário: Antonio Alonso Medina

Financeiro: Lourival de Abreu

Cultural: Marcos A. Santana

Esportes: Lauro Leite Soares Jr.

Social: Marcos Bessa Nisti

Patrimônio: Mário B. F. Andrade

Autorizado aumento de 100% nas mensalidades, para fazer frente aos atuais problemas de caixa, devidos, principalmente, ao bloqueio das contas bancárias da AABB pelo Plano Econômico Brasil Novo. O presidente do Conselho Deliberativo é Aécio de Oliveira Paes Leme. Terminado o piso e a instalação de 18 holofotes, inaugura-se festivamente a quadra de esportes. Paralelamente, a AABB perde repentinamente metade de sua arrecadação, motivada pela edição do decreto 99.509, de 5/9/1990, que vedava às sociedades de economia mista a efetivação de vantagens pecuniárias a clubes que congreguem servidores e seus familiares. São esperadas enormes dificuldades para o fechamento das contas do clube. A fim de superar esse estorvo, a AABB aluga a um restaurante a parte superior de sua sede social.

BRASIL – É lançado um programa de estabilização da economia, que fica conhecido como Plano Collor. Entre as medidas, estão o confisco monetário, inclusive de contas correntes e poupança, e o congelamento de preços e salários. O Plano abre caminho para enorme recessão. Pedro Collor, irmão do presidente Fernando Collor, denuncia o amigo e tesoureiro da campanha eleitoral de Collor, Paulo César Farias, como responsável por irregularidades financeiras, com o conhecimento do presidente. Abre-se uma CPI para investigar o escândalo e, aprovado o processo de impedimento, Fernando Collor é afastado da presidência, assumindo interinamente o vice, Itamar Franco. Em dezembro de 1992, Fernando Collor renuncia momentos antes de o Senado destituí-lo de suas funções.

Luiz Álvaro F. Almeida - Presidente
1989 à 1995
Luiz Álvaro F. Almeida, presidente de 1989 a 1995
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1993/1995

Presidente: Luiz Álvaro F. Almeida

Vice: Salete Rocha D. Domingos

Financeiro: Lourival de Abreu

Esportes: Antonio Taveira

O presidente do Conselho Deliberativo é Eduardo Rodrigues Soares. Em julho de 1995, através de Plano de Demissão Voluntária, Luiz Álvaro Ferreira de lmeida sai do Banco e, conseqüentemente, da AABB, assumindo Salete Rocha D. Domingos, ficando Antonio Taveira como vice. Posteriormente, interpretou-se que também a cessão de funcionário configurava vantagem pecuniária e terminou-se com a regalia. O presidente, doravante, teria que dar dedicação integral ao Banco e, nas horas vagas, gerir a AABB. Foi mais um golpe difícil de absorver: não havia quem se dispusesse a trabalhar no Banco, geralmente em regime de 8 horas diárias, e ainda depois administrar a AABB.

BRASIL – Em agosto de 1993, a moeda brasileira, com o nome de Cruzeiro Real, perde mais três zeros (CR$ 1,00 = Cr$ 1.000,00) e já em julho de 1994 volta o Real, valendo R$ 1,00 = CR$ 2.750,00. Em julho de 1994, Fernando Henrique Cardoso, ministro da Fazenda do governo de Itamar Franco, lança o Plano Real, com a finalidade da estabilização econômica. Acelera-se o processo de privatização das estatais e, tendo como ponto forte de sua campanha a idealização do Plano Real, Fernando Henrique Cardoso é eleito pelo PSDB para presidente da República, já no 1º turno, ficando novamente em 2º lugar Luiz Inácio Lula da Silva, um dos principais líderes do PT. O prefeito de Santos, eleito em 1993, é David Capistrano Filho.

Seleta Rocha D. Domingos - Presidente
1995 à 2005
Salete Rocha D. Domingos, presidente em 1995 e em 2005
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio
Luiz Antonio Gomes Pinto - Presidente
1996 à 1998
Luiz Antonio Gomes Pinto, presidente em 1996 a 1998
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1996/1998

Presidente: Luiz Antonio Gomes Pinto

Vice: Eduardo Rodrigues Soares

Financeiro: Arany Pinto Ribeiro

Patrimônio: Rubens Bergamin Furlan

Esportes: Cláudio Toledo Moraes

Social: Maria Helena S. Silveira

Cultural: Salete R. D. Domingos

Aposentados: Homero L. Bonfim

O presidente do Conselho Deliberativo é Antonio Carlos Daud. Em setembro de 1997, por problemas de saúde, sai Luiz Antonio Gomes Pinto e, após rápida transição, onde o vice, por seus afazeres particulares, declinou em assumir, forma-se nova diretoria:

Presidente: Antonio Carlos Daud

Financeiro: Jurandir M. Oliveira

Esportes: Rubens Bergamin Furlan

Social: Maria Helena S. Silveira

Cultural: Jacirema Santana Alves

Sílvio Spera assume a presidência do Conselho Deliberativo e, em setembro de 1998, a diretoria entrega seu mandato e forma-se uma nova:

Presidente: Sílvio Spera

Vice: Ézio Bresciani

Financeiro: Douglas Bornir

Patrimônio: Jurandir M. Oliveira

Esportes: Cláudio Toledo Moraes

Social: Edélcia Leandro Alonso

Cultural: Jacirema Santana Alves

BRASIL – Termina o monopólio do petróleo, das telecomunicações, do gás canalizado e da navegação de cabotagem. A Cia. Vale do Rio Doce é privatizada e o governo concentra os seus esforços na aprovação da emenda que permite a reeleição dos ocupantes de cargos executivos.Fernando Henrique Cardoso é eleito para mais um mandato de 4 anos e toma medidas duras para enfrentar a crise que se aprofundara no final de seu mandato. Beto Mansur se reelege prefeito de Santos.

Antonio Carlos Daud - Presidente
Outubro de 1997 à Agosto de 1998
Antonio Carlos Daud, presidente de outubro de 1997 a agosto de 1998
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

1999/2001 – O presidente do Conselho Deliberativo é Osni Fleming Dias. Após várias assembléias sem indicação de quaisquer nomes para nova diretoria, Sílvio Spera é mantido na presidência, compondo-se a seguinte diretoria:

 

Presidente: Sílvio Spera

Vice: Ézio Bresciani

Financeiro: Álvaro Vieira Portella

Social:  Maria Inês M. Adurens

Cultural: José Eduardo O. Maradei

Aposentados: Douglas Bornir

Agravando ainda mais os problemas atravessados pela AABB, o concessionário do restaurante deixa de pagar os aluguéis mensais e sua participação nas despesas de energia e água. Assim, viu-se o clube na contingência de mover ação de despejo por falta de pagamento, cujo desfecho somente ocorreu após 14 meses.

BRASIL – A moeda sofre fortes ataques especulativos que reduzem as reservas do País em US$ 40 bilhões. O governo é obrigado a abandonar sua política cambial e permitir a livre flutuação do Real. Setores como o siderúrgico, petroquímico, informática e serviços públicos (eletricidade, telecomunicações, transporte e saneamento) passam a ser explorados pelo capital privado, em muitos casos transnacional. As eleições realizadas em todo o País registram um crescimento da oposição, que vence em 12 das 26 capitais. O Brasil comemora os 500 anos do Descobrimento organizando a Mostra do Redescobrimento do Brasil + 500, a maior exposição de artes plásticas já realizadas no País.

Silvio Spera - Presidente
1988 à 1992
Silvio Spera, presidente de 1988 a 1992
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

2002/2004 – Num acordo de cavalheiros, prorroga-se o mandato de Sílvio Spera até setembro de 2002, já que, após a realização de várias assembléias, não apareciam nomes para gerir a Associação. Então, por interferência do superintendente regional da Baixada Santista, que avocou para si a responsabilidade de superar os atuais problemas de representatividade, compôs-se o Conselho Deliberativo por 12 gerentes de agências da Baixada e mais oito indicados pela Assembléia Geral Extraordinária, sob a presidência de Antonio Carlos Daud. O Conselho Administrativo ficou assim formado:

Presidente: Ocimar Tadeu Fernandes

Vice: Lauro Leite Soares

Financeiro: Luiz Monteiro Guimarães

Cultural: Lilian Gladys S. Carvalho

Esportes: Edgard Travesso Ferreira

Social: Sônia Lúcia Brunetti Cassis

Patrimônio: Allan Eric Jepsen

Aposentados: Salete R. D. Domingos

Ocimar Tadeu Fernandes - Presidente
2002 à 2004
Ocimar Tadeu Fernandes, presidente de 2002 a 2004
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

Em outubro de 2003, impossibilitado de exercer suas funções de funcionário do Banco, em Cubatão, e as inerentes à AABB, Ocimar Tadeu Fernandes deixou a presidência do clube, no que foi seguido por toda a diretoria. Assumiu, então, em 15 de dezembro de 2003, nova diretoria, com a seguinte composição:

Presidente: Sônia Lúcia Brunetti

Vice: Rosana Freitas De Gregório

Financeiro: Jane Teixeira C. Ota

Cultural: Sandra C. Petri

Esportes: Cláudio Toledo Moraes

Social:  Reginaldo Fonseca da Costa

Patrimonial: Frederico G. Serra

Aposentados: Sônia Leandro Nogueira

BRASIL – Uma crise energética leva o governo a implantar o Plano de Racionamento de Energia Elétrica, obrigando a população a reduzir em 20% o consumo de energia em relação à média dos três últimos meses. Quem não cumprisse os limites, sujeitar-se-ia à ameaça de corte no fornecimento. As crises econômicas da Argentina e a energética provocam forte impacto no PIB brasileiro que – inicialmente previsto para crescer 4,5% em relação ao ano anterior – deveria ficar por volta de 2,5%. Lideranças partidárias de esquerda, ONGs e representantes de 122 países participaram do Fórum Social Mundial (FSM), no Rio Grande do Sul, com o objetivo de encontrar e debater alternativas ao neoliberalismo e à globalização. Em 2003 toma posse o novo presidente eleito democraticamente: Luiz Inácio Lula da Silva.

Sonia Lucia Brunetti - Presidente 
Dezembro de 2003 à Setembro de 205
Sônia Lúcia Brunetti, presidente de dezembro de 2003 a setembro de 2005
Imagem enviada a Novo Milênio pelo internauta Ary O. Cellio

Epílogo – Sete décadas se passaram. Conduzida por três gerações de funcionários, a AABB-Santos chega, incólume, aos dias atuais. Pela leitura de sua história, vê-se que o clube atravessou duas fases distintas: uma, da fundação até fins da década de 80, pode ser rotulada como os anos de ouro. Grandes eventos, melhoramentos na sede social, ingresso de novos associados dos quadros do Banco e até eleições disputadíssimas para a presidência, com duas e até três chapas inscritas.

A partir daí, então, vieram os anos de bronze: a inflação incontrolável, as altas taxas de juro e o desemprego levaram o País à recessão e as indústrias, os bancos e a sociedade em geral foram obrigados a rever os seus conceitos. A nova ordem econômica era e é arrecadar cada vez mais – gerando altos lucros -, e gastar cada vez menos. Assim, o Banco cortou a subvenção que dava ao clube; depois, deixou de ceder um funcionário para gerir a Associação de perto, entregando-a à própria sorte. Até a preservação do nome do Banco, umbilicalmente vinculado ás suas entidades, foi deixada de lado.

Alie-se o fato de os novos funcionários estarem sendo admitidos por salários bem inferiores aos de outrora, o que os leva a abdicar da filiação ao clube. Com perto de 500 associados, dos quais 90% são aposentados, a AABB vai caminhando sem um horizonte. As diretorias – todas elas, devemos reconhecer, com dedicação extraordinária ao clube – esbarram sempre na crônica falta de meios pecuniários. A sede social, um prédio de 50 anos, de caríssima manutenção, também é canalizadora dos poucos recursos disponíveis.

E assim vai o Clube, caminhando de lado, a passos lentos. Faz-se necessária uma diretoria que sacuda as atuais estruturas. A que tomou posse, em dezembro de 2003, quase que exclusivamente constituída por elementos do sexo feminino – a começar pela presidenta – chega imbuída dos melhores propósitos. Que Deus os ilumine para levar a AABB-Santos ao lugar de honra que sempre teve junto aos clubes da cidade.

Junho de 2004.

Douglas Bornir

 


N.E.: o relato de Douglas Bornir termina em 2004, mas o clube continua em sua trajetória, sendo dirigido por Salete R. D. Domingos em 2005 e por Reginaldo Fonseca da Costa de 2005 a 2008.

No comments

Deixe uma resposta

Próximos eventos:

  • seg
    09
    jul
    2018
    sex
    20
    jul
    2018

    Colônia de Férias

    13:00

Assine nossa Newsletter

Inscreva-se no nosso canal!